/ NEWS

LINDO SONHO DELIRANTE, conheça o livro!

Conheça mais um projeto desenvolvido junto com o Cj31, desta vez tendo como nossos queridos parceiros, o Diógenes Moura que com seu olhar sabe sugerir as imagens de forma a construir a melhor narrativa dentro do trabalho de fotografia da Dani Tranchesi.

Costumamos a afirmar que o projeto de um livro é um filme em longa-metragem, a integração entre os pares é determinante ao melhor resultado em design, onde naturalmente não pode faltar talento e experiência.

A Leticia Moura sabe coordenar e fazer acontecer projetos maravilhosos como esse que se eternizam em publicações mais que admiráveis.

Este é o espírito do Cj31, reunir talentos em torno de projetos ligados à arte e cultura.

 

Título do projeto: LINDO SONHO DELIRANTE

Autoria: Dani Tranchesi

Cliente: Dani Tranchesi ano 2020

Categoria: DESIGN DE LIVRO

Exposição curadoria: Diógenes Moura

Direção de arte: Leticia Moura

Finalização: Douglas Watanabe

Editora: Martins Fontes

Projeto: Leticia Moura

 

Descrição:

São imagens de São Paulo, da metrópole e do abandono e da Ilha do Marajó. Dani traduz em imagens o interesse pelos outros e pelas diversas formas de viver. Diógenes Moura é escritor, curador de fotografia, roteirista e editor. Escreve sobre existência, imagem e abandono. No livro escreveu pequenos textos que estão ao longo do ensaio. Esse é um trabalho de Dani Tranchesi por Dógenes Moura.

 

Execução:

As fotos foram realizadas em São Paulo, Belém do Pará e na Ilha do Marajó: Salvaterra, Joanes, Soure e Cachoeira do Arari, entre 2018 e 2019. O processo de edição foi bastante importante para misturar as cenas de locais tão diferentes e manter uma linha, um fio condutor entre todas as imagens, reforçando a presença da questão da existência e abandono.

 

Ideia:

As imagens foram todas sangradas nas páginas e colocadas lado a lado, para um maior contraste e impacto entre elas assim como também criando uma fusão entre essas imagens. São imagens fortes, sem respiro num ritmo intenso. O uso dos cinza nas páginas de texto e nas páginas ao lado de algumas fotos, acentuam o tom da cidade, do cimento, do concreto, sujo, da vida nas ruas, do abandono. E o cinza contrasta ainda com as cores fortes e vibrantes presente nos interiores. Ao contrário do livro, na exposição o tom de fundo presente nas paredes é o roxo e o bordô, extraídos da capa e da guarda do livro. Relevância e adequação, uma fusão de imagens completamente diferentes em situações diferentes, lugares diferentes, que conduzem numa história onde o leitor participa, fazendo suas próprias associações, estéticas, filosóficas, existenciais, etc.. Um mergulho nesse mundo que aqui está. Os textos – breves mas intensos, pontuam e reforçam o sentimento presente.

 

EXPOSIÇÃO:

Galeria Estação – Fevereiro/ março de 2020
Curadoria: Diógenes Moura
Projeto: Diógenes Moura
Id. Visual: CJ31

Ao contrário do livro onde o cinza foi explorado como tom de fundo no livro, na exposição temos uma explosão das cores da capa do livro, um roxo e um bordô. Cores quentes e contrastantes que criaram uma atmosfera quente e envolvente além de intensa. Todas as paredes eram nessas cores. Os textos do livro estavam nas paredes também.